Carne equina: Findus e Spanghero vão recorrer à justiça

A empresa sueca de alimentos Findus e a fornecedora francesa de carnes Spanghero disseram neste sábado que estão prontas para entrar na justiça, após o escândalo em que carne de cavalo apareceu em produtos rotulados como carne bovina.

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2013 | 19h54

"Nós fomos enganados", disse o diretor administrativo da Findus France, Matthieu Lambeaux, em comunicado. "Vamos apresentar queixa contra ''X'' na segunda-feira", revelou. "X" é um termo jurídico usado na França quando não se sabe quem são os responsáveis pela suposta violação.

A Spanghero disse neste sábado que estava pronta para processar o seu fornecedor na Romênia. "Compramos carne bovina de origem europeia e revendemos. Se realmente for carne de cavalo, iremos atrás do fornecedor romeno", afirmou à agência France Press o presidente da empresa, Barthelemy Aguerre, sem revelar nomes.

A Findus recolheu na sexta-feira várias refeições congeladas da França e da Suécia, um dia após a descoberta de que uma lasanha vendida na Grã-Bretanha continha 100% de carne equina.

A rede de supermercados britânica Aldi se zangou ao descobrir que dois de seus produtos congelados de marca própria - lasanha de carne bovina e spaghetti ao molho bolonhesa - apresentavam entre 30% e 100% de carne de cavalo. As refeições foram todas produzidas em Luxemburgo pela fornecedora francesa Comigel, que diz que a carne veio de um abatedouro romeno via Spanghero, no sudoeste da França. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Françacarne de cavalo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.