Caroline Kennedy quer vaga de NY no Senado

Filha do ex-presidente JFK pediu ao governador indicação para substituir Hillary Clinton

AP e New York Times, Washington, O Estadao de S.Paulo

17 de dezembro de 2008 | 00h00

Caroline Kennedy - filha do ex-presidente John F. Kennedy, assassinado em 1963, e de Jackeline Kennedy Onassis - disse ontem ao governador de Nova York, David Paterson, que deseja representar o Estado no Senado. Com a declaração, a herdeira de um dos mais tradicionais clãs da política americana torna-se a principal candidata para ocupar a cadeira no Senado de Hillary Clinton, escolhida pelo presidente eleito dos EUA, Barack Obama, como secretária de Estado. Segundo a Constituição americana, quando um senador abre mão de seu mandato, cabe ao governador do Estado que ele representa apontar seu sucessor. Caroline nunca se candidatou a cargos públicos, mas participou ativamente da campanha de Obama. Na última semana, o deputado democrata por Nova York Gary Ackerman criticou a situação, dizendo que Caroline não tem qualificações para a política, "exceto que tem um nome famoso, mas isso Jennifer Lopez também tem". Caso seja indicada, Caroline ocupará o cargo que já foi de seu tio Robert Kennedy - também assassinado, em 1963. Outro tio de Caroline, Ted Kennedy, é senador democrata por Massachusetts desde 1962. Caroline contará com uma ampla rede de amigos e parentes para assessorá-la, entre elas sua sobrinha Maria Shriver, mulher do governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, e Gary Ginsberg, um executivo da News Corp, proprietária do jornal The New York Post.Sua campanha para obter a nomeação ao Senado do governador Paterson tem sido conduzida por Josh Isay, um consultor político que tem sido um importante estrategista do prefeito de Nova York, Michael Bloomberg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.