Carro-bomba e confrontos deixam 23 mortos na Colômbia

Um carro-bomba explodiu na madrugada de hoje na cidade colombiana de Cúcuta, perto da Venezuela, e 13 torres de transmissão de energia elétrica foram derrubadas durante a tarde de domingo e esta madrugada no departamento (Estado) de Cundinamarca. Entre o sábado e a manhã desta segunda-feira, um total de 23 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) morreram em confrontos com os militares nos departamentos de Huila, Meta e NariÏo, informou hoje a assessoria de imprensa do Exército. Segundo o Exército, durante as ações os militares resgataram com vida em Meta o comerciante Gabriel Novoa, que havia sido seqüestrado pelo grupo rebelde, além de armamentos e material explosivo em poder das FARC. A explosão do carro-bomba - cuja autoria não foi reivindicada por nenhum grupo - não deixou ninguém ferido, causando apenas danos materiais em mais de 12 edifícios do centro de Cúcuta. Torres transmissoras de energia Já os atentados contra a rede elétrica nacional foram atribuídos pelo governo às FARC - que iniciou suas ações em 19 de janeiro, após assinar com o governo um compromisso para reduzir o conflito interno. Desde o mesmo dia da assinatura do compromisso até a manhã de hoje, as FARC derrubaram cerca de 40 torres transmissoras de energia, submetendo pelo menos 30 cidades e povoados a um racionamento de eletricidade.

Agencia Estado,

28 Janeiro 2002 | 13h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.