Carro-bomba é desativado em Medellín

Unidades anti-explosivos do Exército desativaram hoje cargas de dinamite colocadas em um veículo que foi deixado nas imediações da IV Brigada, com sede em Medellín. As autoridades acreditam que os explosivos pertençam às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Não tenho a menor dúvida", afirmou o comandante da unidade, general Mauro Montoya.Embora os explosivos parecessem destinar-se a explodir contra aquela unidade do Exército, poderiam ter atingido um centro comercial próximo, segundo Montoya. O oficial explicou que o aviso feito a tempo por um vigilante sobre a presença do veículo suspeito pôde evitar uma tragédia.Durante as operações de desativação, as autoridades desocuparam uma área aproximada de 20 quarteirões. Calcula-se que cada um dos três cilindros tinha uma carga de 30 quilos de dinamite.Até o início desta tarde, ninguém havia sido detido pelo frustrado atentado terrorista, enquanto prosseguiam as operações de busca aos responsáveis. O Exército e a política estão desenvolvendo intensas ações em Medellín, cidade localizada a 250 quilômetros a noroeste de Bogotá, contra as milícias urbanas da guerrilha. Nos últimos sete anos, já foram desativados três carros com explosivos nas imediações da IV Brigada. As Farc promoveram vários atentados explosivos contra a cidade, que deixaram cerca de 20 mortos. No sul da Colômbia, após 36 horas de ataques rebeldes contra as localidades de Santa Cruz e Génova, tropas do Exército apoiadas por helicópteros e aviões de combate conseguiram recuperar nesta quarta-feira o controle sobre a zona e colocar a salvo mais de meia centena de policiais. Nos combates morreram quatro policiais e outros quatro ficaram feridos, enquanto 10 agentes que haviam sido temporariamente seqüestrados foram libertados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.