Carro-bomba mata 7 na Ingushetia; 5 soldados russos morrem na Chechênia

Um oficial de polícia e mais seis pessoas morreram nesta quarta-feira em uma explosão ocorrida na Ingushetia, uma república do sul da Rússia que faz fronteira com a Chechênia. Na conturbada república da Chechênia, cinco soldados russos foram mortos em uma emboscada atribuída a rebeldes. Os episódios de violência expõem uma aparente escalada na tensão entre forças russas e rebeldes na região.O vice-ministro de Interior da Ingushetia, Dzhabrail Kostoyev, morreu junto com dois de seus guarda-costas e quatro civis na explosão de um carro-bomba na periferia de Nazran, a maior cidade da região, disseram autoridades locais.Alguns funcionários locais chegaram a sugerir que um militante suicida teria detonado o carro-bomba, mas o vice-procurador-geral da Rússia, Nikolai Shepel, disse mais tarde que a bomba aparentemente foi detonada por controle remoto.Ainda de acordo com ele, os investigadores não encontraram restos humanos nos destroços do carro-bomba, mas recuperaram o que seriam os fragmentos do mecanismo de um controle remoto.Kostoyev, que já havia sido alvo de atentados no passado, estava a bordo de um carro blindado no momento do ataque. Três veículos faziam a escolta de seu carro.ChechêniaEnquanto isso, cinco soldados russos morreram e seis ficaram feridos numa emboscada contra um comboio militar atribuída a supostos rebeldes nas proximidades de Niki-Khita, no sul da Chechênia, informou a representação local do Ministério de Interior da Rússia.A Ingushetia faz fronteira com a Chechênia no conturbado norte do Cáucaso e tem sido palco de diversas ações atribuídas a rebeldes, especialmente contra alvos ligados às forças de segurança e ao governo. Em junho de 2004, uma ação orquestrada contra a polícia local resultou na morte de 92 pessoas.Em Karachayevo-Cherkessiya, outra república do norte do Cáucaso, homens armados não identificados mataram o diretor interino de um presídio na cidade de Cherkessk na manhã desta quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.