Carro-bomba mata ao menos 15 em Karachi, no Paquistão

Ao menos 15 pessoas morreram e outras 100 ficaram feridas na explosão de um carro-bomba em uma instalação de segurança que abriga militantes em Karachi, a maior cidade do Paquistão, informaram autoridades nesta quinta-feira.

FAISAL AZIZ, REUTERS

11 de novembro de 2010 | 18h24

A explosão ocorreu nas instalações do Departamento de Investigação de Crimes, a alguns metros da residência do ministro-chefe provincial, em um distrito central conhecido como "zona vermelha" devido à sua condição de alta segurança.

O porta-voz para o grupo Tehrik-e-Taliban Paquistan (TTP), Azam Tariq, reivindicou a autoria do ataque que, segundo ele, seria uma retaliação aos ataques aéreos dos Estados Unidos nas áreas tribais do país.

"É uma reação aos ataques com aviões não-tripulados e tais ataques continuarão até que os ataques com aviões não tripulados parem", disse ele à Reuters.

O prédio atacado é usado para deter e interrogar militantes, incluindo aqueles pertencentes a organizações ilegais. Não se sabe quantas pessoas estavam dentro da instalação no momento do ataque.

Sharmila Farooqi, porta-voz para o governo da província Sindh, cuja capital é Karachi, disse que ao menos 15 pessoas morreram e outras 100 ficaram feridas.

A explosão criou uma cratera de cerca de quatro metros de profundidade em frente ao prédio, que ficou destruído.

Um fotógrafo da Reuters no local da explosão afirmou ter visto dezenas de motocicletas destruídas.

(Reportagem adicional de Michael Georgy, Athar Hussain e Kamran Haider)

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOATAQUEMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.