Carro-bomba mata mais de 50 ao norte de Bagdá

Carros-bomba mataram mais de 50 pessoasem ruas movimentadas nas áreas sunitas do Iraque naterça-feira, num súbito surto de violência em uma região queaté então estava quieta, se comparada ao sul xiita, palco derecentes batalhas. Um carro-bomba matou mais de 40 pessoas e feriu outras 80do lado de fora de um escritório do governo na cidade iraquianade Baquba, na terça-feira. Foi um dos maiores ataques dosúltimos meses, disse a polícia. A polícia disse que esperava que o número de mortossubisse, pois ainda havia corpos chamuscados dentro dos carrosenvolvidos na explosão, ocorrida na capital da província deDiyala, norte de Bagdá. As suspeitas do ataque de Baquba recaem sobre a Al Qaeda,já que o grupo costuma usar carros-bomba. A bomba explodiu do lado de fora do gabinete do governoprovincial em Baquba, 65 quilômetros ao norte de Bagdá, disse apolícia. Entre as vítimas, estavam mulheres e crianças.Fontes médicas disseram que as ambulâncias estavam tendoproblemas para levar os feridos aos hospitais, por causa dogrande número de vítimas. As forças norte-americanas afirmam que foram 36 mortos e 67feridos no ataque. Um comunicado do Exército dos Estados Unidosdisse que três ônibus foram destruídos e 10 lojas sofreramprejuízos. "Esses atos têm a intenção de provocar medo na populaçãolocal e são só mais um exemplo da crueldade da insurgênciaanti-iraquiana", disse em comunicado a major Peggy Kageleiry,porta-voz do Exército norte-americano no norte do Iraque. Um segundo carro-bomba, que dizem ter sido guiado por umsuicida, explodiu do lado de fora de um restaurante em Ramadi,capital da província de Anbar, matando 13 pessoas e ferindo 14,disse um policial e uma fonte hospitalar. Outro carro-bomba explodiu sobre um comboio da políciairaquiana em Bagdá, matando três pessoas e ferindo oito, dissea polícia. Em Mosul, cidade do norte que, segundo as forçasnorte-americanas, é a última grande fortaleza urbana da alQaeda, a polícia afirma que um carro-bomba atacou um comboionorte-americano e outro explodiu quando a polícia iraquianaisolou a área. A contagem inicial aponta 17 feridos.Os militantes da Al Qaeda reagruparam-se nas províncias donorte de Bagdá, como Diyala, depois de serem expulsos dacapital e da província de Anbar, a oeste, por um "aumento" dasforças norte-americanas no Iraque, ao longo do ano passado. Em Bagdá, a polícia disse que seis pessoas foram mortas e26 feridas nos combates ocorridos durante a madrugada em SadrCity, a fortaleza do Exército Mehdi, a milícia do clérigo xiitaMoqtada al Sadr. O Exército dos Estados Unidos disse ter matado pelo menos10 combatentes em Sadr City. (Reportagem adicional de Peter Graff)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.