Carro-bomba mata pelo menos três no Paquistão

Pelo menos três pessoas, duas delas policiais, morreram nesta quinta, e outras três ficaram feridas, na explosão de um carro-bomba na cidade de Quetta, a capital da província de Baluchistão, no sudoeste do Paquistão, informou uma fonte policial. O explosivo estava em um veículo no distrito de Shahra-e-Gulistan, perto da rua onde fica o escritório da Inspeção Geral da Polícia de Quetta, disse a fonte. Os feridos foram levados ao Hospital Civil de Quetta, e as autoridades isolaram a área do ataque e inspecionaram os arredores das instalações policiais para descobrir se havia mais bombas. O atentado é o segundo perpetrado no distrito de Shahra-e-Gulistan de Quetta nos últimos dias. Há uma semana, outra bomba explodiu em uma área comercial da região, deixando um morto e quatorze feridos. Segundo a Polícia, as primeiras investigações apontam para a autoria do "Exército de Libertação do Baluchistão", uma organização nacionalista. O conflituoso Baluchistão é habitado por diversas tribos com ambições separatistas. Apesar de a província ter grandes reservas de gás natural, sua população é uma das mais pobres do país. Em agosto, o Exército paquistanês matou mais de cem supostos militantes separatistas em uma grande operação no Baluchistão, entre eles o líder nacionalista Nawab Akbar Khan Bugti, um ex-governador de 79 anos. A morte do líder, criticada pela oposição paquistanesa, suscitou fortes protestos em todo o país e alimentou ainda mais a revolta separatista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.