Carro de embaixador dos EUA é cercado em Pequim

O embaixador dos EUA na China, Gary Locke, foi cercado hoje em seu carro oficial por um grupo de aproximadamente 50 manifestantes chineses do lado de fora da embaixada, e teve de ser protegido por seguranças chineses, informa reportagem do jornal norte-americano "The Wall Street Journal".

EQUIPE AE, Agência Estado

19 de setembro de 2012 | 00h37

Os manifestantes causaram pequenos danos ao veículo, mas Locke saiu ileso, segundo comunicado do Departamento de Estado dos EUA. "Os funcionários da embaixada registraram sua preocupação sobre o incidente de hoje ao Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, exortando o governo chinês a fazer o possível para proteger as instalações norte-americanas e seu pessoal", informou o comunicado.

A embaixada dos EUA em Pequim fica perto da embaixada do Japão, onde milhares de pessoas vêm realizando protestos nos últimos dias, em uma demonstração de raiva sobre a decisão do governo japonês de comprar algumas ilhas em disputa no Mar da China Oriental.

A segurança próximo à embaixada dos EUA foi intensificada nesta semana, com a polícia de choque tentando manter a ordem entre os manifestantes. As principais estradas próximas à embaixada foram fechadas ao tráfego de veículos, emboras elas tenham sido reabertas, diante de forte presença policial.

O incidente ocorre enquanto o Secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, está em Pequim nesta semana para uma reunião com altos líderes militares chineses e civis.

O comunicado não deu detalhes sobre o que motivou a ação dos manifestantes no bloqueio do veículo de Locke. Protestos em algumas cidades chinesas têm se tornado violentos causando danos a carros, comércios e fábricas do Japão, que decidiram fechar suas portas temporariamente por razões de segurança. Entretanto, os protestos em Pequim contra o carro do embaixador não parecem ter como alvo os EUA, ou sua aliança com o Japão. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinamanifestantescarroembaixadorEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.