Carro do presidente paraguaio foi roubado no Brasil

O advogado paraguaio Julio César Martinessi, um conhecido "caçador" de carros roubados, pedirá oficialmente a devolução de um luxuoso automóvel roubado no Brasil e que estava em poder de ninguém menos do que o presidente paraguaio Luis González Macchi.Maritinessi se dedica primeiramente a resgatar em seu país os carros roubados, depois denuncia o roubo e pede sua devolução para companhias seguradoras brasileiras - no caso do BMW, a Sul América. "Agora que está totalmente comprovada a ilegalidade do veículo, vamos pedir ao governo paraguaio sua devolução, para entregá-lo a seu legítimo dono no Brasil, onde foi roubado", disse o "caçador" à agência de notícias italiana Ansa. A posse de um automóvel ilegal por parte de González Macchi foi denunciada pelo promotor Alejandro Nissen, o que provocou um escândalo. Com o início das investigações sobre o caso, começaram as trocas de acusações entre os funcionários que participaram da aquisição do veículo e o colocaram à disposição do presidente paraguaio. A empresa Perfecta, importadora de veículos BMW, submeteu hoje o veículo à peritagem, o que levou à comprovação de que o número do chassis do carro do presidente havia sido adulterado.Ao mesmo tempo, o exame de documentos encontrados em uma concessionária de veículos de José Carlos Grillón, um conhecido piloto de corridas e freqüentador dos círculos oficiais, eram falsos, afirmou o promotor Nissen. Martinessi disse que reclamará a devolução do carro de acordo com as normas de um convênio entre Brasil e Paraguai sobre roubos de automóveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.