Carro explode perto da embaixada iraniana em Bagdá

Dois carros explodiram perto da Embaixada do Irã em Bagdá nesta terça, 24, afirmou a polícia local. Um grupo árabe insurgente sunita reivindica a responsabilidade por um ataque semelhante um dia antes. Nesta terça-feira, em um intervalo de dois minutos, dois carros bombas explodiram por volta das 10 horas (hora local) em um parque público localizado cerca de 150 metros da frente da Embaixada do Irã. Seis civis foram atingidos. A embaixada não sofreu nenhum dano e os guardas não foram feridos, disse um oficial de polícia na condição de anônimo. Na segunda-feira, 22, dois carros explodiram em um estacionamento fora da embaixada em Karradah Mariam, uma área de Bagdá que fica cerca de 200 metros da Zona Verde, onde o governo do Iraque e a embaixada britânica operam. Uma bomba explodiu perto do mesmo estacionamento público por volta do meio-dia, matando um civil e ferindo outro. Por volta das 16h30, um carro bomba explodiu dentro de outro estacionamento encerrando uma ronda policial perto da Embaixada do Irã, matando um civil e ferindo dois oficiais, disse a polícia. Nesta terça, o insurgente iraquiano sunita do grupo islâmico Ansar al-Sunnah publicou uma declaração em seu site reivindicando a responsabilidade pela explosão de uma bomba perto de um estacionamento. Oficiais norte-americanos tem acusado o Irã, um país de maioria xiita, de treinar e armar militares xiitas no Iraque, aumentando a violência sectária na guerra. O primeiro ministro iraquiano Nouri al-Maliki, líder do grupo xiita majoritário no governo, disse recentemente rebeldes tentam libertar cinco iranianos que estão capturados pelas forças dos Estados Unidos desde 11 de janeiro na controlada cidade curda de Irbil, ao norte do Iraque. Autoridades norte-americanas dizem que cinco iranianos foram detidos incluindo os chefes de operações e outros membros da elite da força iraniana, que é acusada de armar e treinar militantes iraquianos. Baquba Homens armados usando uniformes do Exército do Iraque atacaram a vizinhança da cidade iraquiana de Baquba nesta terça-feira, 24. Seis pessoas morreram e 15 foram feridas. Algumas casa foram queimadas, disse a polícia local. O ataque aconteceu um dia depois de uma explosão de carro-bomba ter matado nove soldados norte-americanos e feridos outros 20 em um posto policial perto de Baquba. Em um ataque isolado na segunda-feira, 23, um suicida em um carro bomba atacou um grupo de oficiais da polícia, matando 10 policiais, incluindo o chefe de polícia da cidade. Baquba, que fica a 65 quilômetros ao norte de Bagdá, é a capital da província de Diyala, uma região que tem uma mescla de sunitas árabes e xiitas na população e onde as forças norte-americanas estão engajadas em acabar com os insurgentes entrincheirados e militantes da Al-Qaeda. Dezenas de milhares de soldados norte-americanos e iraquianos têm sido estrategicamente postos em Bagdá desde fevereiro para combater a violência na capital, mas os focos de ataques ocorrem mais em províncias fora da capital. Autoridades norte-americanas enviaram mil combatentes extras para Diyala desde fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.