Carros-bomba explodem no Iraque e matam ao menos 15 pessoas

Segundo a ONU, 1.045 civis e integrantes das forças de segurança morreram no país em maio

Agência Estado

10 de junho de 2013 | 10h29

BAGDÁ - Explosivos escondidos numa picape lotada de mercadorias e em outros dois veículos, estacionados nas proximidades de uma mercado no centro do Iraque na manhã desta segunda-feira, 10, foram detonados e mataram 15 pessoas. Outras 46 pessoas ficaram feridas, informaram policiais, em condição de anonimato.

As explosões foram praticamente simultâneas, destruindo um mercado de atacado de frutas, na cidade de Jidaidat al-Shatt.

A cidade fica nas proximidades de Baquba, cerca de 60 quilômetros a nordeste de Bagdá. Forças de segurança isolaram as vias que ligam Baquba a Bagdá, numa aparente tentativa de evitar novos ataques.

Baquba e a província de Diyala, que fica próxima, já foram locais de violentos confrontos entre forças americanas e insurgentes e continua a ser um local de treinamento de terroristas. A região abriga xiitas e sunitas, mas tem registrado uma piora das atrocidades na medida em que milícias xiitas combatem insurgentes sunitas na tentativa de tomar o controle local, após a invasão de 2003.

O Iraque enfrenta um agudo aumento da violência. Nos últimos meses, o número de mortes aumentou para níveis não vistos desde 2008. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), pelo menos 1.045 civis iraquianos e integrantes das forças de segurança foram mortos em maio, ultrapassando abril, quando houve 712 mortes.

O aumento da violência, que ocorre após meses de protestos da minoria sunita contra o governo, liderado por xiitas, eleva os temores sobre a possibilidade de uma nova onda de violência sectária no país.

Nenhum grupo havia assumido a autoria dos ataques desta segunda-feira, situação semelhante aos ataques das últimas semanas, mas a realização de explosões coordenadas de carros em áreas civis é um método usado com frequência pelo braço da Al-Qaeda no Iraque, conhecido como Estado Islâmico do Iraque.

Os três carros usados no ataque desta segunda-feira foram deixados em locais diferentes, no interior e nas proximidades do mercado, com o objetivo de provocar mais danos e matar e ferir um número maior de pessoas, informou a polícia. Um dos veículos era uma caminhonete que estava cheia de produtos agrícolas e estava estacionado no interior do mercado./AP

Mais conteúdo sobre:
Iraquecarros-bombaBaquba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.