Carros-bomba matam 32 pessoas em Bagdá

Uma série de ataques com carros-bomba na capital do Iraque matou 32 pessoas e deixou dezenas de feridos nesta quinta-feira. No incidente mais sangrento em Bagdá, os explosivos de um carro-bomba foram acionados perto de uma estação de ônibus no bairro xiita de Khazimiyah, na região norte da cidade. Oito pessoas morreram.

AE, Agência Estado

15 de agosto de 2013 | 09h34

Os ataques têm aumentado no Iraque desde uma ação agressiva feita em abril contra um acampamento de protesto sunita. Mais de 3 mil pessoas já perderam a vida por causa da onda de violência durante os últimos meses. A agressiva tendência observada no país tem levantado temores de que o Iraque possa ser palco de novos confrontos sectários, que deixaram o país à beira de uma guerra civil em 2006 e 2007.

Nesta quinta-feira, outro carro-bomba explodiu perto de um encontro de trabalhadores na região de Allawi, perto da fortificada "Zona Verde", onde estão localizadas os escritórios do governo. Seis pessoas morreram e 13 ficaram feridas. Já no leste de Bagdá, sete civis perderam a vida e 15 outros ficaram feridos por causa da explosão de outro veículo com explosivos.

Na região de Bab al-Muadham, um carro-bomba atingiu uma série de lojas e matou quatro pessoas e feriu 12. No oeste de Bagdá, uma bomba ligada a um carrinho de vendas de botijões de gás matou três pessoas e feriu outras oito. Outro carro-bomba atingiu um automóvel próximo oficinas mecânicas em um subúrbio no nordeste da cidade, matando quatro pessoas e ferindo 15, informou a polícia.

Nenhum grupo reivindicou a responsabilidade pelos atentados de quinta-feira, mas extremistas sunitas, como o braço da Al-Qaeda no Iraque, são frequentemente acusados de ataques contra civis.

Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
iraqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.