Carta-bomba fere diretor de agência tributária na Itália

Uma carta-bomba explodiu numa agência tributária italiana nesta sexta-feira, ferindo levemente o diretor-geral do escritório, a quem a correspondência fora endereçada. Um policial de Roma, que falou em condição de anonimato, disse que a carta explodiu ao meio-dia, quando o diretor abriu o envelope amarelo enviado para ele num escritório nas proximidades de Roma.

AE, Agência Estado

09 de dezembro de 2011 | 12h21

Ele sofreu um ferimento na mão que parece ter sido leve, disse o policial. Anteriormente, outro policial, que também falou em condição de anonimato, disse que o diretor-geral sofrera ferimentos nas mãos e olhos. O policial romano disse posteriormente que aparentemente os olhos do diretor não haviam sido atingidos.

A polícia investiga possíveis ligações com um pacote-bomba interceptado na quarta-feira, que havia sido endereçado ao executivo-chefe do Deutsche Bank, Josef Ackermann. A bomba foi desativada com sucesso.

O pacote para o Deutsche Bank foi enviado por um grupo anarquista italiano que se autodenomina "Federação Anarquista Informal".

O policial de Roma disse que os setores de segurança foram colocados em alerta para possíveis novas tentativas de ataque, mas ainda não há evidências sobre a ligação entre os dois incidentes.

A bomba enviada para Ackermann foi interceptada após uma análise rotineira de raio X no setor de correspondências na sede do banco, em Frankfurt, informou a polícia do Estado de Hesse em comunicado. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.