Carta pede saída de chefe de propaganda de Guangdong

Uma carta aberta assinada por acadêmicos proeminentes na China adiciona pressão sobre o chefe de propaganda da província de Guangdong, Tuo Zhen, para que renuncie ao cargo. Os argumentos são de que ele censurou de forma injustificável um editorial de um importante jornal.

EQUIPE AE, Agência Estado

06 de janeiro de 2013 | 19h41

A carta diz que a controvérsia, se for deixada sem solução, vai desafiar a posição da província como o pioneira na reforma econômica chinesa e abertura ao mundo.

Zhang Ming, cientista político da Universidade Renmin em Pequim, estava entre as duas dúzias de acadêmicos signatários da carta e confirmou a autenticidade do documento neste domingo.

Jornalistas chineses dizem que Tuo secretamente examinou um editorial de Ano Novo do jornal Southern Weekly, substituindo o texto, que tratava de avaliação sobre os poderes do governo, por uma propaganda, que foi veiculada na quinta-feira. "Estamos preocupados que permitir a permanência no cargo de pessoas como Tuo Zhen irá trazer muito mais impactos negativos para o comitê do partido em Guangdong", diz a carta.

A petição segue uma carta semelhante distribuída na sexta-feira por pelo menos 35 ex-empregados do jornal, também exigindo a renúncia de Tuo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinapropaganda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.