Cartão para imigrante terá validade limitada

Autoridades da União Européia decidiram adotar o "cartão azul", um esquema para atrair trabalhadores imigrantes qualificados. A intenção da medida é tornar o bloco economicamente mais competitivo e preencher vagas nas áreas de tecnologia, engenharia e saúde, para as quais falta mão-de-obra. O cartão, porém, não será válido em toda a UE, mas apenas no país onde for solicitado. Inspirado no modelo americano "green card", o cartão terá validade de até 4 anos e vai acelerar a obtenção do visto de trabalho. Ele também facilitará aos imigrantes que levem sua família e consigam o status de residente permanente. Trabalhadores estrangeiros qualificados são apenas 1,7% da força de trabalho imigrante na Europa - na Austrália, eles são 9,9%; no Canadá, 7,3% e nos EUA, 3,2%. Mas analistas dizem que o novo mecanismo não será suficiente para suprir a falta de mão-de-obra qualificada porque não permitirá livre deslocamento do trabalhador no continente. "É um passo na direção certa, mas não será um grande sucesso porque, se comparado com os EUA, um mecanismo semelhante dá acesso a todo o mercado americano", disse Jakob von Weizsaecker, especialista em mercado de trabalho. A idéia original de criar um cartão válido em todo bloco foi vetada por alguns dos países da UE.Da forma como foi aprovado, o imigrante só poderá se mudar para outro país após 18 meses. Mesmo assim, terá um mês para pedir um novo cartão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.