Foto: EFE/EPA/SEM VAN DER WAL
Foto: EFE/EPA/SEM VAN DER WAL

Cartas-bomba explodem na sede de duas empresas na Holanda

Polícia investiga se casos têm ligação com série de ataque do mesmo tipo em dezembro do ano passado; Ninguém ficou ferido

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2020 | 12h57

HAIA - Duas cartas-bomba explodiram nesta quarta-feira, 12, na sede de duas empresas na Holanda. De acordo com a polícia local, o caso está sendo investigado como uma tentativa de extorsão.

As cartas explodiram em um edifício do ABN AMRO Bank, em Amsterdã, e na sede da empresa japonesa de serviços informáticos Ricoh, em Kerkade, no sul do país.

Segundo a agência de notícias holandesa ANP, o remetente dos artefatos exigia o pagamento de um determinado valor a ser pago em bitcoin, e ameaçou enviar mais cartas com explosivos se o pagamento não fosse feito.

"Um empregado da ABN AMRO quis abrir a carta e ouviu um barulho. O empregado a jogou no chão e se produziu uma pequena detonação", declarou a polícia em um comunicado.

A empresa japonesa Ricoh também emitiu um comunicado, no qual afirma que não houve feridos, mas que as pessoas envolvidas estão emocionalmente abaladas.

A polícia holandesa já havia investigado uma série de cartas com explosivos enviadas em dezembro a outras empresas de três cidades.

A investigação deve determinar se existe relação entre os casos desta quarta e a série de cartas-bomba enviadas no ano passado./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.