Carter tenta libertar americano preso na Coreia do Norte

O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter chegou hoje à Coreia do Norte, em sua segunda viagem ao país após deixar a Casa Branca. Carter está em Pyongyang para tentar repatriar o americano Aijalon Mahli Gomes, de 31 anos, condenado a oito anos de trabalho forçado sob acusação de entrar ilegalmente no país.

AE-AP, Agência Estado

25 de agosto de 2010 | 11h23

Hoje, uma adolescente norte-coreana entregou flores a Carter, após a aterrissagem dele no aeroporto, segundo imagens divulgadas pela emissora de televisão APTN. Funcionários do programa nuclear norte-coreano encabeçaram a comitiva de boas-vindas.

Gomes está preso na Coreia do Norte desde janeiro, condenado em abril por entrar ilegalmente no país, cruzando a fronteira a partir da China. Ele foi o quarto americano detido em um ano por autoridades comunistas da Coreia do Norte. O país já concordou em libertar Gomes, que aparentemente se encontra em mau estado de saúde. Carter deve pernoitar no país e retornar amanhã com o americano, segundo informações de um funcionário dos EUA.

A Coreia do Norte deve anunciar a chegada de Carter como uma vitória diplomática. Não foi ainda divulgado se Carter será recebido pelo líder Kim Jong-il. O ex-presidente, de 85 anos, já visitou a Coreia do Norte em 1994, quando Bill Clinton era presidente dos EUA, e se reuniu com o então líder stalinista Kim Il-sung, pai de Kim Jong-il.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.