TWITTER/@deAdder
TWITTER/@deAdder

Cartunista perde o emprego após caricatura de Trump 

Em poucas horas, o desenho se espalhou pelas redes sociais e, momentos depois de viralizar, o cartunista recebeu a mensagem comunicando sua demissão

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2019 | 22h50

O cartunista canadense Michael de Adder foi demitido ontem por fazer um desenho do presidente dos EUA, Donald Trump, jogando golfe ao lado dos corpos dos dois imigrantes salvadorenhos encontrados mortos na fronteira com o México, na semana passada. No cartum, Adder desenhou o presidente de pé, segurando um taco de golfe e olhando para os corpos dos afogados. Trump questiona: “Importam-se que eu continue o jogo?”

Em poucas horas, o desenho se espalhou pelas redes sociais e, momentos depois de viralizar, o cartunista recebeu uma mensagem comunicando o cancelamento de seu contrato com a Brunswick News Inc. (BNI), que publica vários jornais no Canadá.

A direção negou que a demissão tenha relação com o trabalho de Adder, que há 17 anos publicava caricaturas nos jornais da BNI. No entanto, a Associação de Cartunistas do Canadá criticou a demissão e afirmou que o tema Trump é tabu para o proprietário da empresa, o bilionário James Irving. / EFE e W.POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.