Casa Branca condena ataque suicida em Israel

A Casa Branca condenou o ataque a bomba em Eilat, em Israel, que matou três pessoas na segunda-feira, e disse que a Autoridade Palestina era responsável por evitar tais ataques. "O fracasso em agir contra o terror irá inevitavelmente afetar as relações entre o governo e a comunidade internacional e minar as aspirações do povo palestino por um Estado soberano", disse o porta-voz da Casa Branca, Tony Snow, em um comunicado. A Jihad Islâmica, as Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa e o até então desconhecido "Brigada dos Crentes" assumiram a autoria conjunta do atentado, que atingiu um resort israelense no Mar Vermelho. A Jihad e as Brigadas disseram que o ataque foi uma resposta "às tentativas israelenses de corromper a mesquita de Al-Aqsa" em Jerusalém, uma referência às recentes escavações arqueológicas no local. Autoridades israelenses dizem que o trabalho não danifica o santuário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.