Carlos Barria/Reuters
Carlos Barria/Reuters

Casa Branca corrige Trump e diz que Melania não conheceu Kim Jong-un

A porta-voz do governo americano disse que o presidente conversa com a primeira-dama sobre muitos assuntos, inclusive sobre Kim, mas esclareceu que os dois não se encontraram

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2019 | 03h42

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira, 26, em Biarritz, cidade francesa que sediou a cúpula do G7, que sua esposa, Melania Trump, conheceu o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, mas a informação foi desmentida posteriormente pela Casa Branca.

A porta-voz do governo americano, Stephanie Grisham, disse em comunicado que o presidente conversa com a primeira-dama sobre muitos assuntos, inclusive sobre a relação com Kim, mas esclareceu que Melania não conheceu Kim. "O presidente gostaria que ela também o conhecesse", afirmou Grisham na nota.

Na entrevista coletiva que encerrou a cúpula do G7, Trump se confundiu e disse que Melania havia conhecido o líder do regime norte-coreano. A primeira-dama, que estava na plateia, inclinou a cabeça ao ouvir a declaração do marido e olhou contrariada para ele.

"Eu também digo que, a propósito, com respeito à Coreia do Norte, Kim Jong-un - quem eu conheci extremamente bem, a primeira-dama também chegou a conhecer Kim Jong-un e acho que ela concordará comigo - ele é um homem com um país que tem um potencial tremendo", disse Trump durante a entrevista.

A primeira-dama também foi protagonista de outro momento da entrevista. Um jornalista perguntou a Trump se o fato de ele e Melania terem bebido vinho francês em Biarritz seria um indicativo que o presidente havia desistido de impor tarifas sobre a tradicional bebida francesa.

A medida chegou a ser anunciada por Trump como uma possível resposta ao imposto criado pela França sobre as receitas de grandes empresas de tecnologia americanas.

Na resposta, porém, o presidente americano preferiu desconversar. "Posso confirmar que a primeira-dama adora o vinho francês", afirmou. EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.