Casa Branca critica Rússia em comunicado sobre MH17

Autoridades norte-americanas ainda estão trabalhando para determinar se cidadãos americanos estavam a bordo do avião

AE, Agência Estado

18 Julho 2014 | 01h20

A Casa Branca relatou na noite desta quinta-feira que os EUA estão "em choque" com a derrubada do voo MH17 da Malaysia Airlines na Ucrânia e culpou a Rússia de alimentar as tensões que podem ter ocasionado o desastre.

"Enquanto nós ainda não temos todos os fatos, nós sabemos que este incidente ocorreu no contexto de uma crise na Ucrânia, que é alimentada pelo apoio russo aos separatistas, nomeadamente através do fornecimento de armas, equipamentos e treinamento militar", escreveu o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, em um comunicado.

A Casa Branca pediu um cessar-fogo para permitir uma investigação sobre o acidente, bem como o resgate dos restos mortais das 298 vítimas. "Este incidente só destaca a urgência com que continuamos a pedir que a Rússia tome imediatamente medidas concretas para acalmar a situação na Ucrânia", relatou Earnest.

As preocupações com a integridade do local do acidente aumentaram e Earnest disse que uma investigação internacional completa é fundamental. "Enquanto isso, é vital que nenhuma evidência seja violada de alguma forma e que o local do acidente fique imperturbado", disse.

O comunicado acrescentou ainda que autoridades norte-americanas ainda estão trabalhando para determinar se cidadãos americanos estavam a bordo do avião.

Earnest informou ainda que os EUA estão prontos para contribuir com assistência para qualquer investigação internacional. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.