Casa Branca deixa de defender lei contra casamento gay

Em uma importante reversão de política, a Casa Branca anunciou hoje que deixará de defender a constitucionalidade de uma lei federal que proíbe o reconhecimento da união civil entre homossexuais. Em anúncio realizado hoje, em Washington, o secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, disse que o presidente Barack Obama concluiu que seu governo não pode defender uma lei federal que define o casamento exclusivamente como a união entre um homem e uma mulher.

AE, Agência Estado

23 de fevereiro de 2011 | 17h52

Holder observou que o debate legislativo sobre a Lei de Defesa do Casamento "contém numerosas expressões que refletem uma desaprovação moral aos gays e às lésbicas e às suas relações íntimas e familiares, precisamente o tipo de pensamento estereotipado que a Cláusula de Proteção Igualitária da Constituição dos Estados Unidos visa a combater". Antes da reversão, o Departamento de Justiça dos EUA vinha defendendo a lei nos tribunais norte-americanos.

A medida foi elogiada por diversos congressistas do Partido Democrata, mas foi criticada pelo porta-voz do deputado republicano John Boehner, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA. "Uma vez que os norte-americanos esperam que Washington se dedique à criação de empregos e ao corte de gastos, o presidente terá de explicar por que acha que este é o momento adequado para levantar esse tipo de assunto controverso que divide profundamente a nação", disse Michael Steel, porta-voz de Boehner.

"Grande parte do panorama jurídico mudou nos 15 anos que se passaram desde a aprovação da lei pelo Congresso", observou Holder, ao anunciar a medida. Ele salientou que a Suprema Corte dos EUA declarou inconstitucionais as leis que criminalizam os relacionamentos entre homossexuais e que o Congresso repeliu a política "não pergunte, não conte" vigentes para os integrantes homossexuais das Forças Armadas norte-americanas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
casamento gayleiCasa BrancaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.