Casa Branca divulga lista com 11 países do G-20 que apoiam ação na Síria

Documento pede 'forte resposta internacional' e elogia esforços para evitar novo uso de armas químicas

O Estado de S. Paulo,

06 Setembro 2013 | 14h46

WASHINGTON - Os Estados Unidos divulgaram nesta sexta-feira, 6, uma lista com a assinatura de 11 países que apoiam uma "forte resposta internacional" à Síria após o uso de armas químicas no ataque de 21 de agosto. Segundo comunicado da Casa Branca, os países são Austrália, Canadá, França, Itália, Japão, Coreia do Sul, Arábia Saudita, Espanha, Turquia, Grã-Bretanha e EUA.

"Pedimos uma forte resposta internacional à grave violação das normas e consciência mundial, que seja enviada uma clara mensagem para que esse tipo de atrocidade não volte a se repetir", afirma a nota, emitida ao fim da cúpula do G-20 em São Petersburgo. "Os que cometeram esses crimes devem assumir sua responsabilidade."

Os 11 países que assinaram o documento consideram que "as evidências claramente apontam o governo sírio como responsável" pelo massacre de agosto, no qual 1.429 pessoas morreram. O texto também destaca o respaldo desses países "aos esforços dos EUA e outros países para assegurar a proibição do uso de armas químicas".

O documento pede ainda que a equipe de investigadores da ONU - que realizou pesquisas em Ghouta, Damasco, onde ocorreu o ataque - apresente "seus resultados o quanto antes". Condenando as violações aos direitos humanos, os países pedem uma ação do Conselho de Segurança da ONU./ EFE

 

Mais conteúdo sobre:
SíriaONUEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.