Casa Branca diz a Taleban que é hora de agir e não de dialogar

O porta-voz da Casa Branca, Air Fleischer, respondeu hoje à tentativa do Taleban de abrir negociações com os EUA sobre a extradição de Osama bin Laden, suspeito de ter idealizado os ataques terroristas aos EUA, afirmando que "o momento é de ação e não de negociação". A declaração veio após a agência de notícias oficial do Taleban ter divulgado que o líder da milícia, mullah Mohammed Omar, teria sugerido a possibilidade do estabelecimento de conversações com os EUA. Fleischer disse ainda que os EUA não estão dispostos a discutir evidências específicas sobre o envolvimento de Bin Laden no ataque de terça-feira passada, já que se o fizessem estariam compromentendo os esforços do serviço de inteligência norte-americano. "É claro que as pessoas que procuramos gostariam muito de saber, gostariam de permanecer escondidas e conhecer o que sabemos e como sabemos. E não estamos perto de fazê-lo", disse Fleischer. O porta-voz afirmou também que já há uma acusação em andamento contra Bin Laden pelos atentados contra as embaixadas norte-americanas no Quênia e na Tanzânia. Fleischer disse que os aliados norte-americanos estão satisfeitos com as evidências que os EUA ofereceram sobre o envolvimento de Bin Laden. "Nâo acredito que outros governos estão procurando pelas mesmas provas. Eles também têm habilidades de inteligência", disse. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.