Casa Branca diz que Egito precisa 'fazer mais' pelos manifestantes

Segundo porta-voz, medidas tomadas pelo governo de Hosni Mubarak não são suficientes

Reuters

09 de fevereiro de 2011 | 18h51

 

WASHINGTON - A Casa Branca disse nesta quarta-feira, 9, que o governo do Egito precisa "fazer mais" para atender às reivindicações do povo egípcio, que está há 16 dias protestando contra o presidente Hosni Mubarak.

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolução que abalou o mundo árabe

som TV Estadão: Veja imagens dos protestos na praça Tahrir

documento Artigo: Entre Teerã de 1979 e Berlim de 1989

blog Radar Global: Personagens, curiosidades e análises da crise

 

"O que está acontecendo nas ruas do Cairo não é surpreendente, já que o que se vê é a falta de medidas que o governo ainda precisa tomar para atender aos pedidos", disse Robert Gibbs, porta-voz do governo americano.

 

Gibbs ainda criticou as medidas já tomadas pelo vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, que tem se reunido com a oposição para discutir a transição política do país. "O processo de transição não parece estar em sintonia com o povo. Achamos que o governo deve fazer mais", disse o porta-voz.

 

Gibbs, porém, disse que os EUA não ditarão as reformas políticas no Egito e afirmou que suas declarações são apenas uma observação sobre as manifestações. Os egípcios que estão nas ruas do Cairo pedem a renúncia de Mubarak, que está no poder há 30 anos, e reformar políticas. "O governo terá que responder a essas demandas do povo", disse, acrescentando que as marchas só vão aumentar se o governo não agir.

 

Leia mais:

link'Hora de negociar já passou', diz ícone dos protestos

linkChanceler egípcio rejeita conselhos de Biden

linkPolícia mata cinco em protesto em cidade no deserto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.