Haraz N. Ghanbari/AP
Haraz N. Ghanbari/AP

Casa Branca foi alvo de disparos, diz serviço secreto dos EUA

Rifle de assalto foi encontrado em área próxima; homem foi preso por suspeita de envolvimento

Agência Estado

16 de novembro de 2011 | 15h12

Atualizado às 17h48 para acréscimo de informação

 

WASHINGTON - O serviço secreto dos Estados Unidos informou nesta quarta-feira, 16, que encontrou um projétil disparado contra uma janela exterior da Casa Branca que foi detido pelo vidro blindado. Outras balas deflagradas foram encontradas no exterior da Casa Branca. Os projéteis foram encontrados na manhã da terça-feira. Um homem foi preso por suspeita de envolvimento.

 

Um porta-voz dos serviços secretos, Edwin Donovan, não quis responder perguntas sobre o incidente, inclusive qual era o calibre dos projéteis recuperados e qual sala da Casa Branca estava atrás da janela atingida. Donovan citou uma investigação criminal em curso para não responder.

 

A descoberta se segue a um tiroteio que aconteceu nas imediações da Casa Branca na sexta-feira passada. Testemunhas escutaram tiros e viram dois carros que deixaram o local em alta velocidade. Um rifle de assalto foi recuperado no local, além de um veículo abandonado.

 

A polícia prendeu Oscar Ramiro Ortega-Hernandez, 21, suspeito de estar envolvido no episódio dos disparos, na Pensilvânia. Ele foi dado como desaparecido por sua família em 31 de outubro e aparentemente estava vivendo em Washington, apesar de ser do Estado de Idaho. O suspeito tem passagens pela polícia em três estados, mas não tem ligações com grupos radicais.

 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não estava em casa na hora do tiroteio da sexta passada. Obama participava da cúpula dos países da Ásia-Pacífico no Havaí. O serviço secreto não ligou o tiroteio da sexta-feira aos projéteis encontrados na Casa Branca. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaCasa BrancaWashington

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.