Casa Branca não condena ataque de Israel

A Casa Branca não condenou Israel pela decisão de atacar áreas na Faixa de Gaza com mísseis e, ao contrário, afirmou que o governo israelense tem o direito de se defender contra o terrorismo. "Israel tem o direito de viver com segurança e de se defender", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer. "Israel é um governo soberano e toma suas próprias decisões sobre como deve se proteger", disse. Helicópteros israelenses dispararam nove mísseis na área ao redor do quartel-general do presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, na Cidade de Gaza. A ação militar seria uma represália aos ataques suicidas do fim de semana, que deixaram 28 mortos em Israel. No momento do ataque, Arafat estava em Ramalá, na Cisjordânia. Em outras ocasiões, o governo norte-americano chegou a interferir pedindo para que Israel não revidasse a ataques palestinos, mas isso não ocorreu hoje. Apesar de não ter rechaçado a represália israelense, Fleischer negou que a posição dos EUA tenha mudado. Fleischer aproveitou a oportunidade para pressionar Arafat a combater as operações de grupos terroristas em áreas palestinas. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.