Evan Vucci/Arquivo/AP
Evan Vucci/Arquivo/AP

Casa Branca pede suspensão do bloqueio da lei de imigração

Semana passada, um juiz do Texas bloqueou a efetivação do plano em resposta a uma ação judicial movida por 26 Estados que alega que Obama ultrapassou sua autoridade ao criar o programa que beneficia 5 milhões de imigrantes

O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2015 | 16h21

WASHINGTON  - O Departamento de Justiça dos Estados Unidos pediu à Corte Federal que permita a aplicação do plano de imigração do Departamento de Segurança Nacional, temporariamente bloqueado pelo juiz federal do Texas Andrew Hanen. O programa vai permitir que cerca de 5 milhões de pessoas que estão ilegalmente no país possam pedir autorizações de trabalhos e terem suas deportações adiadas.

Semana passada, o juiz Hanen bloqueou a efetivação do plano em resposta a uma ação judicial movida por 26 Estados que alega que o presidente Barack Obama ultrapassou sua autoridade executiva ao criar o programa, anunciado em novembro de 2014.

Nesta segunda-feira, 23, o governo americano entrou com um recurso contra a decisão do juiz no Quinto Circuito da Corte de Apelações, em Nova Orleans. A batalha judicial possivelmente vai chegar até a Corte Suprema americana.

Se a liminar for concedida, o governo vai continuar preparando o terreno para concretizar o programa de Ação Diferida para Pais de Americanos e Residentes Permanentes Legítimos.

Em declaração na semana passada, o governador do Texas, Greg Abbott, do Partido Republicano, disse que o juiz Hanen deve negar o pedido. "Uma liminar é geralmente concedida para manter o status quo. Aqui, o status quo é a lei de imigração aprovada pelo Congresso, não uma ação executiva do presidente que quer reescrever a lei de imigração", disse. / ASSOCIATED PRESS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.