Casa Branca procura aliados contra o Estado Islâmico

A Casa Branca disse neste domingo que vai encontrar países dispostos a enviar tropas para lutar contra os extremistas islâmicos na Síria e no Iraque, mas é muito cedo para identificá-los.

ASSOCIATED PRESS, Estadão Conteúdo

14 de setembro de 2014 | 17h01

O chefe da equipe da Casa Branca, Denis McDonough, disse que o Departamento de Estado vai indicar aliados nos próximos dias que vão se comprometer com o envio de tropas para lutar contra o grupo que se denomina Estado Islâmico - anteriormente chamado de Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) -, algo que os Estados Unidos não planejam fazer.

O presidente Barack Obama anunciou na quarta-feira que os Estados Unidos vão promover ataques aéreos e tentar formar uma coalizão internacional para desintegrar ou eventualmente destruir o grupo.

O grupo do Estado Islâmico publicou um vídeo neste sábado mostrando um militar decapitando um trabalhador britânico que prestava ajuda humanitária, em uma cena similar às decapitações recentes de dois jornalistas americanos.

Enfrentando forte oposição pública ao envio de tropas americanas ao Oriente Médio, Obama disse que não planeja fazer isso.

McDonough se recusou repetidamente a falar de quaisquer nações que devem enviar forças e foi cauteloso ao sugerir o que pode ocorrer.

O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbot, disse no domingo que seu país está preparando para contribuir com 600 tropas e até 10 aeronaves militares para a campanha contra o grupo do Estado Islâmico. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUAESTADO ISLÂMICO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.