Casa Branca propõe nova legislação em cibersegurança

'Nossa infraestrutura sofreu repetidos ataques cibernéticos', afirma governo americano para justificar proposta.

Alessandra Corrêa, BBC

12 de maio de 2011 | 21h06

A Casa Branca apresentou nesta quinta-feira a proposta de uma nova legislação sobre cibersegurança que tem o objetivo de melhorar a segurança da infraestrutura do país, das redes de computadores do governo e da própria população.

"Nossa infraestrutura crítica - como a rede de eletricidade, o setor financeiro e as redes de transporte que sustentam nosso modo de vida - sofreu repetidos ataques cibernéticos, e crimes cibernéticos aumentaram dramaticamente ao longo da última década", diz a Casa Branca em um documento apresentando a proposta.

"Está claro que a nossa nação não pode se defender completamente contra essas ameaças a não ser que certas partes da lei de cibersegurança sejam atualizadas", diz a nota.

A proposta precisa ser aprovada pelo Congresso, onde a oposição republicana controla a Câmara dos Representantes (deputados federais).

Medidas

Pela proposta, empresas responsáveis por setores importantes na economia americana, como energia ou o setor financeiro, vão receber apoio do governo para melhorar a segurança de seus sistemas de computadores contra ataques.

No caso desses setores mais importantes, o Departamento de Segurança Interna poderia avaliar se determinado plano de segurança é adequado ou não.

A proposta inclui ainda, entre outros pontos, a simplificação e padronização das exigências de que empresas e comércio notifiquem seus clientes em caso de ataques em que há acesso aos dados pessoais dos consumidores.

Também está prevista maior troca de informações entre empresas e o governo no nível local, estadual e federal sobre vírus e outras ameaças.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.