Casa Branca rejeita apuração independente sobre o Iraque

A Casa Branca rejeitou pedidos de abertura de uma investigação independente sobre as informações que levaram o governo a concluir que o Iraque possuía armas de destruição em massa, motivo alegado para o país ir à guerra contra o regime de Saddam Hussein. O governo insiste que a CIA já está fazendo sua própria auditoria e, além do mais, a busca das armas prossegue.Em depoimento no Senado na quarta-feira, o ex-chefe da equipe das buscas pelo suposto arsenal, o cientista David Kay, reiterou que não há provas da existência de grandes estoques de tais armas e afirmou que apoiaria um inquérito para determinar por que os serviços de inteligência falharam ao avaliar a ameaça iraquiana, e como eles poderiam ser melhorados. Diante das declarações de Kay - que deixou o cargo na sexta-feira passada, alegando insatisfação pelo fato de sua equipe ter sido reduzida - a Casa Branca adotou um tom mais cauteloso, dando mais ênfase aos perigos que Saddam representava para os EUA e o mundo.Hoje, a conselheira de Segurança Nacional da Casa Branca, Condoleezza Rice, deu uma série de entrevistas reconhecendo que pode ter havido falhas na coleta de dados antes da guerra, mas descartando a idéia de uma investigação independente. Segundo Condoleezza, a comunidade de informações já lançou sua própria investigação, "uma espécie de auditoria".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.