Casa Branca saúda eleição presidencial no Afeganistão

A Casa Branca chamou a eleição presidencial deste sábado no Afeganistão de um "passo significativo" para a democracia do país, mas enfatizou a necessidade de comissões eleitorais para legitimar o voto.

AE, Agência Estado

14 de junho de 2014 | 18h38

"O trabalho das comissões eleitorais nas próximas semanas será particularmente importante", disse a Casa Branca, em comunicado.

Neste sábado, milhões de afegãos foram às urnas, apesar das ameaças do Taleban, para decidir quem vai liderar o país: o ex-ministro de Relações Exteriores Abdullah Abdullah ou o ex-economista do Banco Mundial Ashraf Ghani.

"Essas eleições são um passo significativo para frente no caminho democrático do Afeganistão e a coragem do povo afegão para fazer suas vozes serem ouvidas é um testamento da importância dessas eleições para garantir o futuro do país", disse a Casa Branca.

Abdullah e Ghani disputam o segundo turno da eleição presidencial, após terem emergido de um primeiro turno com oito candidatos em abril.

No entanto, alegações de fraude podem surgir de ambas as campanhas e uma margem pequena na diferença de votos pode levar à contestação do resultado, na medida em que o país passa por sua primeira transferência democrática de poder. O presidente atual do Afeganistão, Hamid Karzai, que está no poder desde 2001 e foi reeleito em 2009, está constitucionalmente barrado de buscar um terceiro mandato.

A contagem dos votos deve demorar semanas. O resultado preliminar está previsto para 2 de julho e o resultado final deve sair em 22 de julho. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAfeganistãoeleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.