Casa de autoridade de área petrolífera é atacada na Nigéria

O principal assessor do governo nigeriano na região petrolífera do Delta do Níger teve sua casa atacada com explosivos na noite de quinta-feira, segundo a polícia local.

REUTERS

12 de novembro de 2010 | 10h15

Timi Alaibe, que coordenou no ano passado um programa de anistia aos militantes da região do Delta, não estava em casa na hora do ataque, de acordo com assessores e parentes.

Eguavoen Emokpae, porta-voz da polícia no Estado de Bayelsa, disse que os agressores não foram identificados, e que o motivo do ataque não foi esclarecido. "Eles atacaram o local com dinamite e armas, causando danos ao edifício", afirmou.

Milhares de militantes do Delta do Níger depuseram suas armas no ano passado graças à anistia oferecida pelo presidente Goodluck Jonathan. Mas alguns militares de escalão inferior se queixam de não terem recebido o dinheiro e os empregos que esperavam em troca de desistirem da luta armada na região, maior produtora de gás e petróleo da África.

No domingo, o Movimento de Emancipação para o Delta do Níger sequestrou sete estrangeiros que trabalhavam numa plataforma petrolífera da empresa Afren - dois norte-americanos, dois franceses, dois indonésios e um canadense.

O grupo também assumiu a autoria por atentados com carros-bomba em Abuja, a capital, no dia 1o de outubro, perto do local onde acontecia um desfile por ocasião do dia da independência nacional. Pelo menos dez pessoas morreram.

(Reportagem de Austin Ekeinde)

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIAATAQUEGOVERNO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.