Casa de militante chechena é demolida

A casa de uma das participantes da crise de reféns num teatro de Moscou foi demolida na Chechênia nesta sexta-feira, numa aparente retaliação por sua parte no crime. Aset Gishnurkayeva, que morreu na operação para a libertação dos reféns, vivia na cidade chechena de Achkhoi-Martan, informaram autoridades locais.Nas primeiras horas de hoje, homens armados, trajando uniformes camuflados, entraram na casa e disseram a duas mulheres e duas crianças que ali viviam que saíssem do local, disse Shamil Burayev, administrador de Achkhoi-Martan, à agência de notícias Interfax.Depois de as pessoas terem sido retiradas, a casa foi demolida com explosivos, disse ele. Não houve vítimas.Apesar de ninguém ter assumido a responsabilidade pela demolição, Burayev acredita que o ato esteja ligado à participação de Gishnurkayeva na tomada de reféns no Palácio da Cultura de Moscou, em 23 de outubro.Tropas de elite russa invadiram o local três dias depois. A operação deixou um saldo de 169 mortos, sendo 128 reféns e 41 seqüestradores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.