Casa Real britânica revisa Lei de Regência, diz revista

Segundo publicação, a rainha Elizabeth II poderia passar funções ao filho, o príncipe Charles; Palácio de Buckingham nega

O Estado de S. Paulo

02 de outubro de 2014 | 12h07

LONDRES - A Casa Real britânica está revisando a Lei de Regência em razão da idade avançada da rainha Elizabeth II, afirma a a revista Saga, dizendo que a rainha pode precisar delegar algumas funções ao filho, príncipe Charles.

Funcionários da Casa Real começaram a examinar os mecanismos pelos quais Charles poderia se tornar o governante no lugar da mãe, que está com 88 anos, informou a última edição da revista mensal. 

A Lei de Regência de 1937 estipula bases legais para o caso de um monarca precisar delegar funções para outra pessoa em razão de incapacidade. Com a delegação de funções, o príncipe não se torna rei.

A última regência na Grã-Bretanha ocorreu entre 1811 e 1820, quando o rei Jorge III ficou incapacitado de exercer suas funções em razão de um problema de saúde e passou as tarefas ao filho, que passaria a ser conhecido como Jorge IV após a promulgação da lei.

A rainha britânica diminuiu o ritmo de trabalho e não realiza mais viagens de longa duração, mas até hoje afirma que é capaz de cumprir suas obrigações de rainha e não pretende abdicar.

O príncipe Charles tem assumido cada vez mais obrigações em nome da mãe, entre elas a de representar a monarca na Cúpula de chefes de Estado da Commonwealth, ocorrida no ano passado no Sri Lanka.

Como a rainha não deve deixar suas funções de soberana, a Casa Real se preparou para o que pode ocorrer. "Trouxemos à tona a Lei de Regência e demos uma olhada", afirmou a revista, citando uma fonte.

Uma fonte do Palácio de Buckingham, residência oficial da rainha em Londres, afirmou ao jornal britânico The Daily Telegraph que "não tinha conhecimento de alguém estar revisando a lei detalhadamente". Em maio, o palácio precisou emitir um comunicado para negar que havia planos para o príncipe Charles se tornar príncipe regente após a cúpula da Commonwealth.

O parque londrino Regent´s Park a rua central Regent Street receberam esses nomes em homenagem à lei de 1937. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.