Casa Rosada ameaça processar 'juízes rebeldes'

O governo da presidente argentina, Cristina Kirchner, pretende levar os juízes da Câmara Civil e Comercial ao banco dos réus para acusá-los de obstruir a aplicação da Lei de Mídia, que implica uma série de restrições para as empresas de comunicação.

BUENOS AIRES, O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2012 | 02h04

O senador Marcelo Fuentes, do Partido Frente pela Vitória (FpV), a sublegenda kirchnerista do Partido Justicialista (peronista), confirmou ontem que "a decisão (de levar os juízes ao banco dos réus) está tomada". Na semana passada o ministro da Justiça, Julio Alak, acusou os juízes de estarem em estado de "rebelião" contra Cristina.

No domingo à noite, em discurso para 100 mil pessoas na Praça de Maio, Cristina acusou o Poder Judiciário de não atender à "vontade popular" ao colocar barreiras paras as leis do Poder Executivo.

Os juízes da Câmara Civil e Comercial tornaram-se os novos inimigos da Casa Rosada, na noite da quinta-feira, quando acataram o pedido do Grupo Clarín para prorrogar a liminar que permite que a principal holding multimídia do país possa se esquivar da aplicação dessa lei temporariamente.

A deputada Elisa Carrió, líder da Coalizão Cívica, declarou que Cristina também faz "ameaças veladas à Corte Suprema".

O relatório elaborado pela comissão da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), que visitou Buenos Aires na última semana, apontou entre outras ações de assédio à mídia por parte do governo Cristina, a pressão do Executivo sobre o Judiciário na Argentina.

Juízes têm denunciado com alguma frequência casos de intimidação até mesmo a seus parentes - com veículos supostamente de agentes do governo federal cercando e vigiando suas casas. / A.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.