Casal de adolescentes ciganos será separado. Eles irão para a escola

As autoridades romenas determinaram, hoje, que a menina cigana de 12 anos e seu marido, de 15, sejam separados e que qualquer relação íntima cesse até que o casal tenha idade legal para casar-se. A determinação foi dada pelos serviço de previdência social da cidade de Sibiu, na Transilvânia, onde os dois se casaram, sábado passado, e deflagraram uma polêmica internacional sobre direitos humanos e tradições ciganas.A agência de previdência também decidiu que Ana Maria Cioaba ? que autoridades da Romênia chegaram a cogitar enviar para um orfanato ? e seu noivo, Mihai Birita voltem para a escola. Se Ana Maria permanecesse casada, teria de ficar em casa e fazer o que a sogra lhe mandasse.Birita ainda está sob investigação sob acusação de abuso sexual de menor, por supostamente ter consumado o casamento com a jovem cigana. Sendo ele mesmo um menor, corre o risco de ser mandado a um centro de reabilitação.O governo romeno está reagindo às exigências da enviada da União Européia, baronesa Emma Nicholson, que quer o casal separado e sugere que a Romênia, se não tomar providências, estará arriscando suas chances de juntar-se a EU, algo que pode acontecer em 2007.Embora os casamentos ciganos arranjados entre adolescentes sejam relativamente comuns, não são reconhecidos legalmente e houve um clamor na Romênia depois que a cerimônia recebeu atenção da mídia. Principalmente depois que a noiva fugiu da igreja, dizendo que não queria se casar. O pai da noiva, Florin Cioaba, trajado como rei dos ciganos, oficiou a cerimônia.Cioba, que defendeu veementemente o casamento dizendo que não fora forçado e que era uma tradição cigana, parece ter voltado atrás. Ele considerou a decisão de afastar o casal e mandá-los para a escola ?normal e justa?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.