Casal paquistanês mata filha de 16 anos que conversou com garoto

Um casal paquistanês matou a filha adolescente ao despejar ácido em seu rosto e corpo, após pegá-la conversando com um garoto, disseram nesta quinta-feira a polícia e um médico.

Reuters

01 de novembro de 2012 | 17h51

Os pais da menina de 16 anos confessaram à polícia em Kotli, cidade na Caxemira administrada pelo Paquistão, que eles atacaram a filha depois que ela falou com o garoto do lado de fora da casa deles, afirmou Mohammad Jahangir, médico do hospital para onde ela foi levada.

"Houve queimadura de terceiro grau em seu couro cabeludo, rosto, olhos, nariz, os dois braços e parte das pernas. Até o sua caixa craniana ficou exposta", disse ele, acrescentando que a mãe inicialmente contou no hospital que a filha tentou cometer suicídio. A polícia prendeu o casal.

Quase 1.000 mulheres perderam a vida no último ano nos chamados "assassinatos de honra" na conservadora nação do sul da Ásia, de acordo com a comissão de direitos humanos do Paquistão. Ativistas afirmam que o número atual é muito maior, já que muitos casos não são divulgados.

(Reportagem de Mehreen Malik)

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOCASALFILHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.