Richard Vernalls/PA via AP
Richard Vernalls/PA via AP

Casal supremacista que deu nome de Adolf a filho é condenado no Reino Unido

Os dois foram condenados por integrarem organização de extrema direita já banida National Action

O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2018 | 20h45

LONDRES - O casal que deu o nome de seu filho em homenagem a Adolf Hitler foi condenado no Reino Unido nesta segunda-feira, 12, por serem integrantes do grupo de extrema direita National Action, banido no país.

Adam Thomas, de 22 anos, e Claudia Patatas, de 38, foram condenados junto com Daniel Bogunovic, 27 anos, por serem integrantes da organização, depois de terem trocado mensagens elogiando Hitler e fotos deles vestidos como membros do grupo supremacista branco Ku Klux Klan (KKK) e fazendo saudações nazistas.

Três outros já haviam se declarado culpados de pertencerem ao National Action, que foi banido pelo governo depois de integrantes terem elogiado o assassinato da congressista Jo Cox por um solitário obcecado pelo nazismo em 2016.

“Depois que o National Action foi banido, ele entrou na clandestinidade e mudou de nome, mas não desapareceu”, disse Deb Walsh, do Serviço de Promotoria da Coroa. “Esses integrantes continuam a acreditar na visão de mundo neonazista, permanecendo em contato em aplicativos de mensagens criptografadas e organizando reuniões para manter o grupo.”

O National Action foi o primeiro grupo de extrema direita a ser banido no Reino Unido em décadas. Os partidos de extrema direita têm crescido em muita partes da Europa nos últimos anos, porém no Reino Unido eles permanecem às margens da vida política.

O júri em Birminghan foi informado que Thomas e Patatas deram o nome do meio do seu filho de “Adolf” em homenagem ao líder do Terceiro Reich. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Adolph Hitlernazismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.