STR / AFP) / China OUT
STR / AFP) / China OUT

Casaquistão desmente afirmações chinesas sobre novo vírus mortal

Comunicado de embaixada chinesa falava em 'pneumonia casaque' que estaria afetando regiões do país da Ásia central; mortes chegariam a 1.772

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2020 | 12h15

NUR-SULTAN - O Casaquistão negou nesta sexta-feira, 10, as afirmações da embaixada chinesa de que um novo vírus mais letal que o que provoca a covid-19 está em propagação em várias regiões do país de Asia central.

Em uma mensagem enviada a seus cidadãos, a embaixada chinesa em Nur-Sultan, capital do país, advertiu contra uma nova doença com "índice de mortalidade de longe superior à covid-19", que teria provocado, segundo o texto, 1.772 mortes nos seis primeiros meses de 2020 e "628 apenas em junho".

O comunicado citava inicialmente uma "pneumonia casaque", mas depois o termo foi substituído por "pneumonia não covid". De acordo com a embaixada, três regiões do Casaquistão estão afetadas e entre as vítimas estariam cidadãos chineses.

As afirmações "da mídia chinesa não correspondem à realidade", afirmou nesta sexta-feira o ministério casaque da Saúde, sem uma referência ao comunicado da embaixada chinesa. O ministério mencionou pacientes registrados como afetados por pneumonia e não pelo novo coronavírus, apesar dos sintomas, pois os testes de covid-19 foram negativos. Disse ainda que o problema se deve a uma falha de tradução, segundo a agência Reuters

No total, o país registra oficialmente até esta sexta-feira 57.747 casos e 264 mortes, mas como seus vizinhos da Ásia central é acusado por observadores e ONGs de minimizar a dimensão da pandemia. / AFP e Reuters 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.