Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Caso Battisti será estudado ´sem parcialidade´, diz Genro

O ministro da Justiça do Brasil, Tarso Genro, assegurou na terça-feira, 20, que o processo de extradição do extremista italiano Cessar Battisti será estudado sob a "mais estrita legalidade".Genro recebeu uma ligação telefônica do ministro da Justiça italiano, Clemente Mastella, que pediu informações sobre a situação de Battisti, ex-membro de um grupo extremista italiano, detido no último domingo, no Rio de Janeiro.Mastella explicou que, para a Itália, "é muito importante obter a extradição, uma vez Battisti cometeu quatro homicídios e fugiu de uma prisão italiana".Genro disse que o Brasil aguarda "o pedido formal de extradição", sobre o qual decidirá o Supremo Tribunal Federal, após ser examinado pelo Ministério Público."Vamos cumprir todos os trâmites legais, sem nenhum tipo de parcialidade", afirmou o ministro.PrisãoBattisti integrou o grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), responsabilizado por diversos atentados realizados na Itália.O extremista foi detido no Rio de Janeiro, no domingo, 18, graças a uma operação conjunta de autoridades brasileiras, francesas e italianas.Em 1993, ele foi julgado à revelia na Itália, e condenado à prisão perpétua, por quatro assassinatos.Battisti, de 52 anos, e que sempre negou sua responsabilidade nesses casos, passou a década de 90 refugiado na França.Desde 2004, quando perdeu sua condição de asilado político na França, o acusado se encontrava em paradeiro desconhecido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.