Caso de corrupção contra Sharon é abandonado

O procurador-geral de Israel abandonou o caso de corrupção contra o primeiro-ministro Ariel Sharon, pondo fim a meses de incertezas quanto ao futuro político do premier e ampliando as perspectivas de uma retirada israelense da Faixa de Gaza. O procurador Meni Mazuz disse à imprensa que não indiciará Sharon num caso de suborno, alegando que as provas ?nem chegam perto? de garantir uma condenação judicial.A decisão abre caminho para que Sharon corteje o Partido Trabalhista, na oposição, que disse que aceitaria integrar o governo apenas se o premier fosse inocentado. Sharon precisa dos trabalhistas para compor um governo mais ao centro, já que os parceiros de direita de sua coalizão atual se opõem ao plano de entregar a Faixa de Gaza aos palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.