Caso de mesquita ameaça tolerância, diz arcebispo de Nova York

Religioso quer que defensores e detratores do projeto no Marco Zero discutam para chegar a solução

Agência Estado e Efe,

24 de agosto de 2010 | 20h43

 

 

NOVA YORK-O intenso debate sobre a proposta da construção de uma mesquita e um centro comunitário islâmico perto do local onde ficavam as Torres Gêmeas destruídas em 11 de setembro de 2001, em Nova York, colocou em risco o senso de tolerância e unidade que é característico dos nova-iorquinos, disse o arcebispo Timothy Dolan, líder católico da cidade. Ele fez a declaração após ter tido uma reunião com o governador de Nova York, David Paterson.

"Acredito que não podemos estar brigados, mas sim tomar distância e ver as coisas por um ponto de vista isento. Não precisamos de protestos, mas sim de promotores de diálogo e civismo", disse Dolan, que na semana passada defendeu a mudança do local da construção.

 

O religioso garantiu que os nova-iorquinos compartilham valores de tolerância e unidade que estão em perigo. Por isso, pediu aos detratores e defensores do projeto que relaxem e dialoguem para encontrar uma solução.

 

O governador de NY criticou o tom da polêmica e garantiu que odeia ver "os nova-iorquinos brigando", ao mesmo tempo em que insistiu em sua vontade de se reunir com os defensores do centro para encontrar uma nova localização.

 

"Não quero dizer a ninguém o que fazer com seus direitos, porque isso não se faz nesse país, mas sim quero realizar um pedido (aos promotores do projeto) para manter uma conversa", disse.

 

Desde o início da polêmica, o governador tem se mostrado a favor de encontrar um local longe do marco zero para o centro islâmico, mas ainda não conseguiu se reunir com os idealizadores do projeto.

 

O projeto despertou críticas dos familiares das vítimas dos atentados de 2001, realizados por fundamentalistas islâmicos. Eles consideram o local sensível para a construção do centro e acreditam que erguê-lo ali seria um ato de desrespeito.

 

O complexo de 13 andares que está sendo construído foi orçado em US$ 100 milhões. O centro terá uma mesquita, estações culturais, áreas esportivas e outros espaços públicos.

 

O governo do Estado de Nova Jersey já ofereceu um terreno longe do Marco Zero para a construção do centro. Os idealizadores do projeto, porém, alegam que ele atenderia a comunidade de Manhattan e descartaram levá-lo para outro lugar.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAmesquitaNY11 de Setembroarcebispo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.