Washington Post / Bill O'Leary
Washington Post / Bill O'Leary

Caso de violência doméstica derruba chefe do Pentágono

Patrick Shanahan desiste do cargo após jornal relatar envolvimento dele em briga do filho com ex-mulher, em 2011

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2019 | 00h42

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira a substituição de Patrick Shanahan, chefe interino do Pentágono, por Mark Esper, que servia como subsecretário do Exército.

“Agradeço a Pat por seu excelente trabalho e nomearei o secretário (adjunto) do Exército, Mark Esper, como novo secretário interino da Defesa”, tuitou Trump, acrescentando que Shanahan deixa o cargo por motivos familiares.

Shanahan, de 56 anos, que assumiu a liderança do Pentágono em dezembro, após a renúncia de James Mattis, renunciou ao cargo de secretário interino da Defesa e retirou sua candidatura ao posto permanente para proteger a “segurança e o bem-estar” de seus filhos.

Dois incidentes marcaram a história recente de Shanahan. O primeiro foi uma briga em 2010 com sua então mulher, Kimberley, na residência do casal em Seattle, no qual o funcionário saiu com o nariz sangrando e a mulher foi detida.

A mulher denunciou que foi agredida por Shanahan, segundo o jornal USA Today. Ele afirma que jamais tocou na ex-mulher e levou um soco que o fez "ver estrelas".

O segundo incidente incluiu o filho de Shanahan, detido quando era adolescente por bater na mãe com um bastão de beisebol em 2011, como admitiu o próprio funcionário em entrevista ao Washington Post. “Coisas ruins podem ocorrer em boas famílias (...) e isso foi uma tragédia, realmente”, declarou Shanahan ao jornal esta semana.

Antes de chegar ao Pentágono, o engenheiro Shanahan trabalhou 30 anos na Boeing, administrando distintos programas, de aviões comerciais a sistemas de defesa de mísseis.

Shanahan foi o responsável por todos os programas de aviação da Boeing envolvendo as Forças Armadas dos Estados Unidos, experiência que lhe facilitou a entrada no governo.

O novo chefe do Pentágono, Mark Esper, foi presidente do grupo de defesa aeroespacial Raytheon e a partir de novembro de 2017 assumiu a direção de recrutamento, equipamento e treinamento do Exército. Ao contrário de seu predecessor, que não tinha experiência militar, Esper, de 55 anos, lutou no Iraque durante a Guerra do Golfo, em 1991.

Esper conhece bem o secretário de Estado, Mike Pompeo, com quem estudou na academia militar de West Point e se formou em 1986. 

A aprovação definitiva de Esper como secretário de Defesa deverá exigir meses, o que deixará o Pentágono sem um titular definitivo em pleno auge das tensões com o Irã.  / AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.