Caso do Irã é enviado ao Conselho de Segurança da ONU

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) concordou em enviar o caso do Irã para o Conselho de segurança das Nações Unidas. O Irã é acusado de violar o Tratado de Não-Proliferação (TNP) de armas nucleares, e o Conselho da ONU tem o poder de impor punições ao país, por conta disso. No entanto, quaisquer sanções, para serem aprovadas, precisam contar com a anuência de China e Rússia - dois países que mantêm laços econômicos estreitos com o Irã e têm poder de veto no Conselho. A diretoria da AIEA, na qual estão representados 35 países, aprovou a remissão do Irã ao Conselho por 27 votos a favor e três contra. Os países que se abstiveram na votação foram Argélia, África do Sul, Indonésia, Líbia e Bielo-Rússia. Votaram contra Cuba, Venezuela e Síria.A decisão sobre a remissão do Irã ao Conselho de Segurança tinha sido adiada, de ontem para hoje, por conta de uma disputa entre EUA e Egito, já que o país árabe queria incluir na resolução um pedido para a criação, no Oriente Médio, de uma "zona livre de armas nucleares", numa alusão indireta a Israel. O texto pactuado menciona como meta um Oriente Médio "livre de armas de destruição em massa".O texto aprovado faz uma série de exigências ao Irã, como voltar a suspender o programa de enriquecimento de urânio e ser mais transparente em suas atividades nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.