Caso dos grampos dos tabloides na Grã-Bretanha vai virar livro

Jornalista do 'The Guardian' que revelou esquema planeja lançar obra no segundo semestre de 2012

Efe

25 de julho de 2011 | 21h51

NOVA YORK - O jornalista britânico que revelou o escândalo das escutas ilegais do já extinto jornal News of the World fechou um acordo com a editora Faber & Faber para publicar um livro sobre a investigação que abalou o império do magnata Rupert Murdoch.

 

Leia mais:

lista ENTENDA: O escândalo dos grampos na Inglaterra

 

Nick Davies, jornalista do diário The Guardian, chegou a um acordo com os responsáveis da Faber & Faber, vinculada ao grupo editorial nova-iorquino Farrar, Straus & Giroux, para escrever um livro chamado "Hack Attack", cuja publicação está prevista para o segundo semestre de 2012. A editora não forneceu detalhes sobre o acordo econômico estabelecido com o jornalista.

 

A polícia britânica reabriu a investigação sobre as escutas no último mês de janeiro após receber "informação nova e significativa", que provocou meses mais tarde o fechamento do jornal News of the World.

 

Uma semana mais tarde, Rupert Murdoch pediu perdão e afirmou que não conhecia a magnitude do caso até duas semanas antes, durante uma sessão na Câmara dos Comuns, ao lado de seu filho James e a ex-editora-executiva da News International, Rebekah Brooks.

 

O escândalo se transformou também em uma dor de cabeça para o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, que teve que aceitar a demissão de seu diretor de comunicações Andy Coulson, o homem à frente do News of the World quando aconteceram as escutas e que nega ter tido conhecimento de tais práticas.

 

A polêmica também já cruzou o Atlântico - o Departamento de Justiça dos Estados Unidos prepara citações judiciais, que terminariam com uma investigação sob a Lei de Práticas Corruptas no Estrangeiro, que proíbe às empresas americanas subornar funcionários de outros países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.