Caso Dubai: Londres expulsa diplomata de Israel

O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, David Miliband, afirmará hoje que Israel estava envolvido na falsificação de passaportes britânicos supostamente usados no assassinato de um líder do Hamas em Dubai, segundo uma pessoa próxima do assunto. Londres expulsou um diplomata israelense por causa disso.

AE, Agencia Estado

23 de março de 2010 | 09h52

O embaixador israelense em Londres foi convocado por autoridades britânicas para prestar esclarecimentos, segundo a fonte. Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores israelense confirmou que o embaixador do país no Reino Unido foi convocado na noite de ontem, mas não quis fazer mais comentários.

A polícia de Dubai identificou 26 passaportes estrangeiros, dos quais mais de dez eram britânicos, vinculados ao assassinato de Mahmoud al Mabhouh, uma importante liderança do grupo militante palestino Hamas. O Reino Unido afirmou que os passaportes eram falsos e enviou o caso para uma agência nacional de investigação de crime organizado.

Miliband falará sobre o tema na Câmara dos Comuns, informou um funcionário. Segundo a fonte próxima do assunto, Miliband não acusará Israel pela morte do líder do Hamas, mas afirmará que os israelenses estão envolvidos na clonagem dos passaportes que, segundo a polícia de Dubai, foram usados pelos responsáveis pelo crime. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.