Caso Snowden não enfraqueceu Obama, diz Susan Rice

A embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU), Susan Rice, repudiou as afirmações de que o vazamento de informações sobre sistemas de vigilância norte-americano por Edward Snowden tenha enfraquecido a presidência de Barack Obama e prejudicado a política externa do país. Segundo Rice, os Estados Unidos continuarão a ser "o mais influente, poderoso e importante país do mundo."

Agência Estado

29 de junho de 2013 | 12h05

As declarações de Rice foram as únicas que ela fez em público sobre o caso envolvendo Snowden e aconteceram durante uma entrevista à Associated Press. Ela se prepara para deixar o cargo na ONU e assumir o posto de conselheira nacional de segurança de Obama.

Para Rice, ainda é muito cedo para dizer se haverá repercussões sérias no longo prazo do vazamento de informações de inteligência feitos pelo ex-funcionáiro da CIA e de uma empresa que presta serviços para a Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês), que fugiu para Hong Kong e depois para a Rússia. "Eu não acho que as consequências diplomáticas, pelo menos no que são previsíveis no momento, sejam significativas", afirmou ela.

O secretário de Defesa norte-americano Chuck Hagel e o general Martin Dempsey, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, disseram que o vazamento foi uma séria violação, que prejudicou a segurança nacional. "Sempre haverá questões difíceis no dia a dia", disse Rice, "e, francamente, este período não é particularmente único".

"Eu acho que a questão envolvendo Snowden é obviamente algo que vai passar e superamos todas as questões como esta no passado", declarou ela em entrevista concedida na quinta-feira, antes de participar de um almoço em sua homenagem, oferecido pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Rice repudiou os comentários que afirmam que as ações de Snowden fizeram de Obama um presidente que não tem mais nada para fazer - como num final de mandato -, e tenha prejudicado sua base política e sua política externa. Ela afirmou que "eu acho que isso é um disparate".

"Eu acho que os Estados Unidos da América são e continuarão a ser o mais influente, poderoso e importante país do mundo; a maior economia, o maior Exército, com uma rede de alianças e valores que são universalmente respeitados."

Para Rice, Obama tem "ambições significativas e uma agenda de verdade" para seu segundo mandato. Ela lembrou os discursos feitos na semana passada sobre desarmamento e não-proliferação de armas nucleares, além da questão das mudanças climáticas, abordado nesta semana. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaSnowdenRice

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.