Sandra Sanders/REUTERS
Sandra Sanders/REUTERS

Casos de covid-19 se estabilizam no epicentro do coronavírus na Austrália

Queda no número de casos é atribuída ao lockdown imposto em Melbourne em 19 de julho

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2020 | 05h10

SYDNEY - Victoria, o segundo Estado mais populoso da Austrália, registrou um pequeno aumento no número de casos de covid-19 nesta terça-feira, 11,  levando as autoridades sanitárias a acreditarem que as infecções estão se estabilizando após uma segunda onda atingir Melbourne e colocar milhares de pessoas em lockdown novamente

Victoria, que tem quase todos os casos ativos do novo coronavírus na Austrália, detectou 331 novos casos e 19 óbitos nas últimas 24 horas. No dia anterior, 322 casos e 19 mortes foram registrados no estado. 

O recorde diário de casos foi atingido no dia 5 de agosto, quando 725 infecções foram confirmadas. Esse número tem caído nos últimos dias, consequência do lockdown imposto em Melbourne em 19 de julho. 

Apesar de ter causado danos econômicos significativos, as autoridades afirmaram que as restrições - que irão até setembro - estão dando resultado. 

"Continuamos a ver os números diminuindo. Só o tempo vai dizer quanto tempo vai levar e qual é o menor número possível de ser atingido", disse o primeiro-ministro de Victoria, Daniel Andrews.

O Estado de New South Wales registrou 22 novos casos, o maior aumento desde 17 de abril. Cerca de 1 terço dos casos estão relacionados a um surto em uma escola de Sydney.

"Nem sempre é possível determinar de onde o vírus veio e é isso que mais nos preocupa", afirmou Brad Hazzard, ministro da Saúde de New South Wales.

Os outros estados australianos não registraram novos casos nas últias 24 horas. O país confirmou quase 22 mil infecções e 332 óbitos pelo novo coronavírus, número muito menor que os registrados em outras nações desenvolvidas. 

A Austrália registrava menos de 20 casos diários em junho, quando as medidas de lockdown foram afrouxadas. 

As autoridades acreditam que violações da quarentena em Victoria foram a causa da segunda onda de infecções no estado./REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.